22/11/2014

“POMADA-AMOR”

A Pomada “Vovô Pedro”
É um prodígio de amor,
Cuja fórmula divina
Pertence ao próprio Senhor.

Cicatrizando feridas,
Seja no corpo ou na alma,
É unguento abençoado
Nas tantas dores que acalma.

A quem dela necessita,
Aqui, além e acolá,
Ela sempre cai do Céu
Transfigurada em maná.

É remédio e alimento
Que nos sustenta de pé,
Quando, por vezes, estamos
Fragilizados na fé.

Nos momentos de aflição,
Sob a cruz a que se enlace,
Para quem recorre a ela
Vale uma prece ou um passe.

A Pomada “Vovô Pedro”,
Feita de raios de luz,
É uma dádiva sublime
Do Coração de Jesus!...

Eurícledes Formiga
(Página recebida pelo médium Carlos A. Baccelli, em reunião pública do Lar Espírita “Pedro e Paulo”, na manhã do dia 15 de novembro de 2014, em Uberaba – MG).

21/11/2014

Questão 273 do Livro dos Espíritos
REGRESSÃO NA FORMA

Um Espírito de mediana evolução pode renascer em uma tribo de selvagens, mas, tomando o lugar de destaque naquele ambiente, no sentido de levar os Espíritos ali reencarnados a melhores dias e a uma vivência mais agradável. Ele regride na forma, mas não no Espírito; o que aprendeu ele carrega consigo vibrando na alma.
Esse é um tipo de prova que se vê constantemente em todo o mundo; é lei de justiça divina. Assim, alguns impiedosos senhores de engenhos renasceram como escravos, para suportarem na própria carne o que fizeram os outros sofrer sob o seu comando. Pelas ruas encontramos muitas vezes mendigos dormindo nas calçadas, enfrentando frio e chuva, fome e nudez, e, ainda mais, o desprezo da sociedade, porque abusaram dos poderes no passado e desmantelaram a mesma sociedade com os seus instintos inferiores. Hoje, aparecem no cenário do mundo desprovidos de recursos, abandonados pela própria família, que não souberam respeitar. A caridade de Deus é, entretanto, infinita e a misericórdia de Jesus entra em qualquer lugar, abençoando e servindo, e mesmo esses irmãos, que se tornaram, em muitos casos, piores que os animais, serão assistidos com roupa e alimento, tendo, de vez em quando, um lugar para descansar o seu fardo.
Muitos desses Espíritos, que já se encontram saldando os débitos, saem logo das provações; outros, mesmo sendo convidados para melhores lugares, recusam, porque sentem a necessidade de sofrer pelo que fizeram os outros padecer com o seu orgulho e o seu egoísmo.
Tudo está certo no mundo. A caridade e o amor nos chamam, não para desfazer o que a lei cobra, mas, para aliviar o fardo dos que sofrem. Esse ato de luz prova a existência do Criador.
Podemos dizer, voltando ao assunto, que em meio aos selvagens pode haver missionários, em se comparando ao estado evolutivo deles.Espíritos menores, mas que se tornam bons, e ajudam os mais primitivos a despertarem para o bem e para a justiça, ainda que por processos rudimentares. Mas é bom que se entenda que, nesse meio mencionado, nunca reencarnam Espíritos Superiores, Espíritos puros, pois a sua missão, quando chegam a descer na carne, é no meio dos que lhes podem assimilar a lição, como na época da vinda de Jesus à Terra.
É importante que o homem entenda que, se está sendo chamado para algum lugar de destaque na sua sociedade, é preciso fazer uso dos seus poderes temporais, fazendo justiça com amor, tendo cuidado com os caminhos pessoais. Deve refreiar os instintos, porque as paixões inferiores podem levá-lo ao caos e fazê-lo nascer de novo na regressão da forma e em lugares difíceis, pelo mau uso das faculdades que Deus concedeu.
Não percamos tempo, porque o tempo passa. Lembremo-nos sempre do Cristo e peçamos a Ele inspiração para a nossa vida, para não precisarmos voltar, pelo impositivo da lei, à carne em piores condições na forma e no ambiente. A dor sempre cobra de quem fez mal uso da saúde e dos poderes. Não devemos regredir em nada, para a nossa alegria.
 

Livro: FILOSOFIA ESPÍRITA - Vol. VI - João Nunes Maia - Miramez - Livro Espírita a venda

20/11/2014

Evangelho de Maria de Magdala

Apócrifos

(...) Pedro disse à Maria, "Irmã, nós sabemos que o Salvador a amou mais que a outras mulheres [cf. Jo 11.5, Lc 10.38-42]. Conte-nos as palavras do Salvador que tens em mente visto que as conhece; e nós não, nem ouvimos falar delas." Maria respondeu e disse, "o que está oculto de vós dividirei convosco." E ela começou a dizer as seguintes palavras. "Eu", ela disse, "vi o Senhor em uma vi-são e eu lhe disse, `Senhor, eu o vi hoje em uma visão.' Ele respondeu e me disse, `Bendita sois vós, visto que não oscilas-te ao me ver. Pois onde a mente está, existe seu semblante' [cf. Mt 6.21]. Eu lhe disse, 'Senhor, a mente que vê a visão, a vê através da alma ou do espírito?' O Salvador respondeu e disse, 'nem vê pela alma nem pelo espírito, mas a mente que está entre os dois, que vê a visão e é... '" "... e o Desejo disse, 'eu não o vi descer; mas agora eu o vejo subindo. Porque falas falsamente, quando tu pertences a mim?' A alma respondeu e disse, 'eu o vi, mas tu não me viste ou me reconheceste; eu o ser-vi como uma roupa e tu não me reconheceste.' Depois que disse isto, foi alegre e contentemente embora. Novamente veio ao terceiro poder, a Ignorância. Este poder questionou a alma: 'para onde vais? Tu estavas limitado na impiedade, tu eras realmente limitado. Não julguei' [cf. Mt 7.1]. E a alma disse, `Por que me julgas, quando eu não julguei? Eu estava limitado, entretanto eu não me importei. Eu não fui reconhecido, mas eu admiti que todos se libertarão, coisas terrestres e divinas.' depois que a alma deixou para trás o terceiro poder, subiu para o alto, e viu o quarto poder, que tinha sete formas. A primeira forma é a escuridão, a segunda o desejo, a terceira a ignorância, o quarto o despertar da morte, o quinto é o reino da carne, o sexto é a sabedoria da loucura da carne, o sétimo é sabedoria colérica. Estes são os sete participantes em ira. Eles perguntam à alma, `De onde vens, assassina de homens, ou onde vais, conquistador do espaço? 'A alma respondeu e disse, 'o que me agarra é morto; o que se volta para mim é superado; meu desejo se acabou e a ignorância está morta. Em um mundo eu fui salva de um mundo, e em um "tipo", de um "tipo" mais alto e da corrente da impotência de conhecimento, a existência do que é temporal. Desde agora eu alcançarei descanso no tempo do momento do Eon no silêncio.' "
Quando Maria disse isto, ela ficou em silêncio, visto que o Salvador tinha falado assim com ela. Mas André respondeu e disse aos irmãos, 'Diga o que pensas com relação ao que ela disse. Porque eu não acredito que o Salvador disse isto. Porque certamente estes ensinos são de outro tipo."
Pedro também se opôs a ela com respeito a estes assuntos e lhes perguntou pelo Salvador. "Então falou secretamente com uma mulher [cf. Jo 4.27], de preferência a nós, e não abertamente? Nós voltamos e todos a escutaram? Ele a preferiu a nós? "Então Maria afligiu-se e disse a Pedro, "Meu irmão Pedro, o que pensas? pensas que eu pensei isto por mim mesmo em meu coração ou que eu estou mentindo com relação ao Salvador?"
Levi respondeu e disse a Pedro, "Pedro, tu és sempre irascível. Agora vejo que disputas contra a mulher como a adversários. Mas se o Salvador a fez merecedora, quem és tu para a rejeitar? Seguramente o Salvador a conheceu muito bem [cf. Lc 10.38-42]. Por isso ele a amou mais que nós [cf. Jo 11.5]. E nós deveríamos estar bastante envergonhados e deveríamos nos revestir do Homem Perfeito, para nos formar [?] como ele nos ordenou, e proclamar o evangelho, sem publicar uma ordem ou uma lei adicional além daquela que o Salvador falou. Quando Levi disse isto, eles começaram a sair para proclamá-lo e pregá-lo.

19/11/2014

III - CIÊNCIAS ESPECIALIZADAS

70 –As ciências especializadas com a Astronomia, a Meteorologia, a Botânica e a Zoologia, foram criadas pelo esforço do espírito humano, na evolução das ciências fundamentais?
-Como atividades complementares das ciências fundamentais, esses estudos especializados representam um conjunto de conquistas do espírito humano, no sagrado labor da entidade abstrata a que chamamos “civilização”.
Tais esforços constituem a catalogação das pesquisas e realizações propriamente humanas: todavia, convergem para a ciência integral no plano infinito, onde se irmanarão com os valores morais na glorificação do homem redimido.
71 –Como julgar a posição da Terra em relação aos outros mundos?
-A grandeza do plano sideral, onde se agita a comunidade dos sistemas, é demasiado profunda para que possamos assinar-lhe a definição com os mesquinhos formulários da Terra.
No turbilhão do Infinito, o sistema planetário centralizado pelo nosso Sol é excessivamente singelo, constituindo um aspecto muito pobre da Criação.
Basta lembrar que Capela, um dos nossos vizinhos mais próximos, é um sol 5.800 vezes maior que o nosso astro do dia, sem esquecermos que a Terra é 1.300.000 vez menor que o nosso Sol.
Nessas cifras grandiosas, compreendemos a extensão da nossa humildade no Universo, apiedando-nos sinceramente da situação dos conquistadores humanos de todos os matizes, os quais no afã de açambarcarem patrimônios materiais, nos dão a impressão de ridículos e vaidosos polichinelos da vida.
72 –Existem planetas de condições piores que as da Terra?
-Existem orbes que oferecem piores perspectivas de existência que o vosso e, no que se refere a perspectivas, a Terra é um plano alegre e formoso, de aprendizado. O único elemento que aí destoa da Natureza é justamente o homem, avassalado pelo egoísmo.
Conhecemos planetas onde os seres que os povoam são obrigados a um esforço contínuo e penoso para aliciar os elementos essenciais à vida; outros, ainda, onde numerosas criaturas se encontram em doloroso degredo. Entretanto, no vosso, sem que haja qualquer sacrifício de vossa parte, tendes gratuitamente céu azul, fontes fartas, abundância de oxigênio, árvores amigas, frutos e flores, cor e luz, em santas possibilidades de trabalho, que o homem há renegado em todos os tempos.
 

Livro: “O Consolador” – Francisco C. – Emmanuel - Livro Espírita a venda

18/11/2014


CADA MUNDO COM A SUA POPULAÇÃO, ENCARNADA E DESENCARNADA

No livro “O Céu e o Inferno”, em seu capítulo III – “O Céu” –, Allan Kardec, inspirados pelos Espíritos Superiores, escreveu com lógica insofismável: “Embora os espíritos estejam por toda parte, os mundos são as sedes onde eles se reúnem, de preferência, em razão da analogia que existe entre eles e aqueles que os habitam. Ao redor dos mundos avançados afluem os espíritos superiores; ao redor dos mundos atrasados, pululam os espíritos inferiores. A Terra é ainda um destes últimos. Cada globo tem, pois, de alguma forma, sua população própria em espíritos encarnados e desencarnados, que se alimenta, em maior parte, pela encarnação e a desencarnação dos mesmos espíritos.”
Mais claro impossível. Cada globo, ou cada Esfera, ou, ainda cada Dimensão, com a “sua população própria em espíritos encarnados e desencarnados”...
Vamos exemplificar: a Terra, um dos globos do Universo, possui a sua população encarnada e desencarnada, e, assim, deve ser com todos os globos habitados do Universo físico.
Imaginando a Terra, com as suas Esferas, que, com ela, perfazem o número de Sete Esferas, é natural se pensar que cada uma dessas Esferas possui a sua população “encarnada” e “desencarnada”...
Notemos que Kardec, com a sua sabedoria e precisão, não se esqueceu de grafar no texto: “Cada globo tem, pois, de alguma forma...” Sim, porquanto, assim como não podemos tomar a vida do homem na Terra como padrão uniforme para a vida dos espíritos nos mais diferentes mundos, não podemos concluir que as condições de vida dos espíritos que pululam ao redor das diversas Esferas sejam as mesmas.
Evidentemente, por exemplo, que a população invisível da Dimensão das Trevas difere da população invisível da Dimensão da Terra! E assim, em consequência, para as consideradas Sete Esferas da Terra, sejam elas mais, ou menos, materiais.
A população invisível da Esfera em que me encontro, denominada, genericamente, de Umbral, existe e é algo diferente da população invisível que rodeia a Humanidade encarnada.
Difícil de entender?! Nem tanto. Façamos um esforço.
A rigor, a verdadeira população invisível da Terra é a que se localiza no Umbral Grosso, porquanto a que se situa no Umbral Fino, onde fica localizada a cidade de “Nosso Lar”, embora igualmente invisível para os encarnados, é uma população fixa – os seus integrantes, como se pode ler na obra de André Luiz, aí constituem família, estudam, trabalham e até mesmo procriam.
Os maiores candidatos à reencarnação imediata na Terra são, em geral, os que desencarnam e permanecem nas suas proximidades, em suas sub-Dimensões – muitos deles, inclusive, inconscientes do fenômeno da própria desencarnação.
O assunto, reconhecemos, é complexo, e exige maior esforço no campo da reflexão e da análise.
Se assim não fosse, como os espíritos, que se dizem situados nas Trevas, conseguiriam subir e se comunicar nas reuniões de desobsessão, que são levadas a efeito nos Centros Espíritos da Terra?!
Muitos desses espíritos comunicantes, em verdade, são aqueles que estão vivendo no Umbral Grosso, e que, para se comunicarem, não têm que subir, mas, sim, descer!
De qualquer maneira, o assunto fica lançado para saudável discussão entre os estudiosos sérios da Doutrina.
Gregório, personagem do livro “Libertação”, encontrava-se “encarnado” nas Trevas... Vocês se recordam que Gúbio, André Luiz e Elói, a fim de serem percebidos por ele, tiveram que se materializar?!
Seria possível que Gregório, estando “encarnado” nas Trevas, se comunicasse numa sessão de desobsessão na Terra?! Seria possível que um médium de psicofonia o “recebesse”?! A nosso ver, somente se, em seus instantes de desprendimento natural, ele deixasse o corpo! Quantos encarnados, em seus momentos de desdobramento, com o seu corpo espiritual, descem à Dimensão das Trevas?! Ou mesmo quantos outros, logram subiràs Esferas Superiores, deixando na Terra o seu pesado veículo físico, e, às vezes, até mesmo o seu perispírito mais grosseiro?!
André Luiz, em “Nosso Lar”, foi levado a se encontrar com a sua mãe, habitante da Esfera seguinte, através de seu corpo mental – ele deixou o seu perispírito ressonando na cidade espiritual em que passara a viver além da morte.
No capítulo 33, intitulado “O Sonho”, André Luiz, de maneira sucinta, descreve o fenômeno de seu desprendimento, indo visitar a mãe na outra Dimensão: “Eu sabia perfeitamente, que deixara o veículo inferior no apartamento das Câmaras de Retificação, em ‘Nosso Lar’, e tinha absoluta consciência daquela movimentação em plano diverso.”
Enquanto o estado de inconsciência é característico de quem “sonha” nas Dimensões Inferiores – como na Terra, por exemplo –, a consciência desses estados de desdobramento, nas viagens astrais, a partir da Dimensão do Umbral Fino parece que vai se acentuando.

INÁCIO FERREIRA
Uberaba – MG, 17 de novembro de 2014.

17/11/2014


Eles estão entre nós

De onde vem tamanha força que não vês?
Onde está tudo que nos dirige?
Em que parte do universo existirá mais vida? Haverá?
Estas e outras indagações existencialistas provocam a mente humana há séculos.
Em primeiro lugar, a existência paternal de um ser incriado. Por Ele, tantas dúvidas foram postas em jogo. Por Ele, muitas vidas foram ceifadas. E Ele está no centro de tudo. Chamo-Lhe de Pai. Sempre falei assim. Era a forma que Jesus, Nosso Senhor, denominava-O, então, para nós, não poderia ser diferente.
Deus, a eloquência de tudo, existe, é  e está. É difícil concebê-Lo sem antes ouvir a voz do coração. Deus fala pelo coração e é entendido pela mente. Mas se você não costuma ouvir seu coração não conseguirá jamais compreendê-Lo.
Deus Pai, todo poderoso, ensinai as suas crianças no entendimento o que representas, de verdade, em suas vidas. Aliás, em primeiro lugar, mostrai a elas, a origem da própria vida. Não há sentido nada para nós, absolutamente nada, se não formos convertidos à condição de filho de Deus. Somente assim poderemos entender a essência das coisas. Ademais, sem a ideia divina o homem carecerá de lógica existencial.
É Ele que nos dirige, que nos aponta os caminhos, que nos tira dos espinhos, que nos trouxe a vida e nos enleva para a conquista da felicidade definitiva.
Ele entende, certamente, que todos os povos do mundo seriam insuficientes para a compreensão de Sua realeza. Não entendamos realeza aqui com o simulacro que os homens fizeram deste papel. Percebamo-la como objeto da soberana vontade entre os homens. Este Rei, porém, é dócil, é bom, é magnífico em suas obras. E entre tantas, povoou o universo de outras gentes.
Falar deste tema sempre foi um encalço. Como poder falar de algo que não se vê, não se sabe direito? A razão, porém, nos traz esta verdade verdadeiríssima para a nossa compreensão. O Pai criou um universo habitado por toda a eternidade.
- Dom Hélder, o senhor já viu extraterrestre no mundo espiritual?
Claro que vi. E vejo todos os dias. É gente que não se acaba mais. Chegam de todos os lados para ajudar a Mãe Terra a ser mais feliz. É gente que já conseguiu fazer o dever de casa e agora colabora para outros povos no universo também promoverem a sua emancipação pela paz e pelo progresso.
Não pensem que vejo aqueles seres estranhos que a televisão e o cinema nos mostram. Nada disso. Vejo gente como nós, do mesmo jeito. Encarnam no mundo para ensinarem os valores nobilíssimos que já praticam em seus orbes originais.
Pode ser que muitos ao lerem este meu humilde artigo possam dizer: “agora, Dom Hélder pirou de vez”. Deixe estar. Tenho o dever de falar as coisas que sei e vivo do lado de cá da vida. É claro que não falo tudo, que não escrevo tudo que poderia escrever, porque sou guiado, obedeço ordens superiores que me permitem revelar isto ou aquilo.
O médium bem que queria que eu escrevesse sobre outros temas, inclusive mais polêmicos do que esse, mas me resguardo a obedecer orientações superiores, como aliás, sempre fiz na minha vida física. Se tenho autorização, escrevo. Se não tenho, fico calado.
“Na casa de meu Pai há muitas moradas”, assim revelou o Nosso Senhor Jesus Cristo. Ora, foi ele quem disse isto, não fui eu. Então ouvir-me dizer estas coisas, ler minhas anotações do além sobre este tema não deveria representar surpresa para quem quer que seja.
Há vida sim em outros planetas, meus irmãos. A própria Igreja Católica sabe bem disso. Não serei eu, logicamente, que vou trazer os fatos à baila para o conhecimento de todos. Ela tem as suas razões para guardar estes segredos.
Muitos papas tiveram, de alguma forma, contato com estes seres dos outros mundos. A Igreja guarda, a sete chaves, informações preciosas que, pouco a pouco, no tempo certo, na medida certa, haverá de revelar sem alardes, mas com a segurança que o tema exige.
Não estamos, portanto, sós no universo divino. Estamos acompanhados, e bem acompanhados, por seres maravilhosos, de uma estirpe espiritual espetacular, mas tudo a seu tempo. Tudo a seu tempo.
Que Deus nos abençoe e até uma próxima oportunidade, se Ele quiser.
Helder Camara

16/11/2014


PENSAMENTOS

A ação do pensamento sobre a saúde é incontestável.
Vejamos alguns exemplos:
- A ansiedade estimula a secreção de adrenalina, que sobrecarrega o sistema nervoso e o descontrola;
- O pessimismo perturba o aparelho digestivo e produz distúrbios gerais;
- O medo, a revolta, são agentes de úlceras gástricas e duodenais de curso largo.
- Da mesma forma, a tranqüilidade, o otimismo, a coragem, são estimulantes que trabalham pela harmonia emocional e orgânica, produzindo salutares efeitos na vida.

O homem se torna o que pensa, portanto, o que quer.
Os pensamentos emitidos atraem ou sintonizam outros semelhantes, nas mesmas faixas de ondas mentais por onde transitam as aspirações e os estados psíquicos de toda a Humanidade.
Adicionados a estes, temos as mentes dos desencarnados que se intercomunicam com os homens, vibrando nos climas que lhes são afins.
Acostuma-te a pensar de forma edificante.
Assume uma postura vitoriosa.
Atrai pensamentos salutares.
O cérebro é antena que emite vibrações e as capta incessantemente.
Irradia idéias do bem, do progresso, da paz, e captarás, por sintonia, equivalentes estímulos para o teu bem.
Quem pensa em derrota, já perdeu uma parte da luta por empreender.
Quem cultiva o insucesso, dificilmente enfrentará os desafios para a vitória.
A cada momento adicionas experiências novas às tuas conquistas.
A todo instante pensa corretamente e somarás força psíquica para o êxito da tua reencarnação.

Divaldo Pereira Franco. Episódios Diários. Pelo Espírito Joanna de Ângelis.