30/08/2014

PRECE CONVENIENTE

Mestre Amado, eis que Te peço
A luta menor que tem,
No entanto, como não sei
Se convém, ou não convém...

Que aos meus ombros nunca pese
A cruz da vida de alguém,
Contudo, como não sei
Se convém, ou não convém...

De toda dor sobre a Terra
Que eu consiga viver sem,
No entanto, como não sei
Se convém, ou não convém...

Que não sofra igual a tantos
Humilhação e desdém,
Contudo, como não sei
Se convém, ou não convém...

Cumpra-se em mim, hoje e sempre,
Seja aqui ou mais além,
A Tua augusta vontade
Que, em tudo, só me convém!...

Eurícledes Formiga
(Página recebida pelo médium Carlos A. Baccelli, em reunião pública do Lar Espírita “Pedro e Paulo”, na manhã de sábado do dia 16 de agosto de 2014, em Uberaba – MG). 

29/08/2014

Cura


Ante essa realidade, contamos sempre com o fato de que não podemos tudo, não atingiremos os resultados finais em apenas uma reunião, ou ao menos não os atingiremos completamente, pois temos de contar com fatores que interferem nas experiências de ajuda e auxílio a meus irmãos. O que seria desejável é informar aos irmãos em tratamento, por meio de conversas, palestras e outros recursos, a respeito de sua responsabilidade, em seu próprio benefício. É importante explicar que eles igualmente contribuem ou impedem a eficácia do tratamento com suas posturas íntimas, mentais e emocionais.

Livro: A Alma da medicina - Robson Pinheiro - Joseph Gleber

28/08/2014

BIOLOGIA

27 –Como devemos compreender a Natureza?
-A Natureza é sempre o livro divino, onde as mãos de Deus escrevem a história de sua sabedoria, livro da vida que constitui a escola de progresso espiritual do homem, evolvendo constantemente com o esforço e a dedicação de seus discípulos.
28 –As manifestações de vida nos vários reinos da Natureza, abrangendo o homem, significam a expressão do Verbo Divino, em escala gradativa nos processos de aperfeiçoamento da Terra?
-Sim, em todos os reinos da Natureza palpita a vibração de Deus, como o Verbo Divino da Criação Infinita, e, no quadro sem-fim do trabalho da experiência, todos os princípios, como todos os indivíduos, catalogam os seus valores e aquisições sagradas para a vida imortal.
 29 –Os Espíritos cooperam no desenvolvimento do embrião do corpo em que se vão reencarnar? E, em caso afirmativo, chegam a operar nos complexos celulares da herança física, para que os corpos futuros sejam dotados de certos elementos aptos a satisfazerem as circunstâncias da prova ou missão que hajam de cumprir?
-No caso dos espíritos envolvidos, senhores de realizações próprias, inalienáveis, essa cooperação quase sempre se verifica, junto ao esforço dos prepostos de Jesus, que operam nesse sentido, com vistas ao porvir de suas lutas no ambiente material. Temos de considerar, todavia, que os espíritos rebeldes, ou indiferentes, desprovidos dos valores próprios indispensáveis, têm de aceitar a deliberação dos prepostos referidos, os quais escolhem as substâncias que merecem ou que lhes são imprescindíveis no processo de resgate ou de evolução.
Livro: “O Consolador” – Espírito: Emmanuel – Médium: Francisco Cândido Xavier

27/08/2014

CONCESSÃO DE PROVAS

Questão 261 do Livro dos Espíritos

No campo das escolhas e das concessões, há uma coisa que fala mais alto: a maturidade da alma que mostra a necessidade das provas. Pode um Espírito pedir a riqueza, segundo a resposta à pergunta, e ser atendido. Alguns usam o ouro, fazendo dele motivo de glória na sua vida, e outros, carentes de lições que lhes possam preparar para o futuro, usam mal os recursos da fortuna, por lhes faltar maturidade devida, que o passado não lhes conferiu.
É muito engenhosa a vida do Espírito, porque os Espíritos se encontram em escalas diferentes, uns dos outros. Às vezes, os próprios benfeitores que ajudaram na reencarnação de um Espírito não perceberam que ele, pela sua fragilidade, desviaria seus dons e torceria os poderes que a vida lhe colocou nas mãos. Mas Deus sabia de tudo e acedeu como motivo de experiências que o Espírito deve acumular, para aprender melhor as lições recebidas.
Deus nunca erra, e somente põe fardos pesados em ombros fortes. Se o homem está passando por duras provações na Terra, é preciso que busque a força em Jesus, cultivando a humildade, a paciência e o amor, que, o Mestre abastecerá seu coração de energias compatíveis com as suas necessidades.
Temer a vida é desconfiar da bondade de Deus. Jesus está sempre atento aos nossos passos, a nos ajudar na subida dos nossos calvários, e sempre aparecem irmãos como cireneus, a nos ajudarem a carregar a cruz das nossas provas.
Pedir riquezas e poderes é pensamento de muitos ao descerem à Terra, mas, entre pedir e ser concedido há uma grande distância, porque o Pai vela muito por Seus filhos, principalmente pelos que não sabem o que querem.
É preciso que o encarnado pare e medite no que tenha pedido, procurando fazer o melhor para a sua vida. Tudo pode mudar, se se mudar o clima de vida. Pode-se sempre fazer mais, além do que se tem em seu programa. O seu destino depende dele próprio.
O Senhor sempre favorece novas oportunidades para quem tem boa vontade de servir, de ajudar com amor, e tem na caridade a força de salvação.
Procuremos Jesus no silêncio do nosso aposento, oremos a Ele em secreto, porém, não fiquemos somente na oração; coloquemos as nossas mãos no trabalho honesto e justo, que mãos invisíveis se aproximarão de nós ajudando-nos a libertar o coração das paixões extravagantes que o mundo oferece, por meios difíceis de o Espírito comum escapar.
A missão do Espiritismo é reformar o homem e ajudar a despertar os Espíritos endurecidos para o amor. Não há outro caminho para todos nós. O Evangelho é o livro da vida, para que tenhamos mais vida, e com abundância. Se negarmos o bem, estaremos envolvidos no mal.
Não podemos deixar de falar da relatividade em todos os campos do saber, mesmo da aplicação das leis de Deus, porque as desigualdades de evolução dos Espíritos é uma realidade inconteste. Um Espírito bom pode nascer em um lar em más condições, para soerguê-lo, bem como pode ter dívidas do passado com aqueles com quem vai conviver na carne. Em qualquer circunstância, devemos amar, servir e perdoar, lembrando-nos sempre de Deus, nosso Pai Celestial, e do nosso maior Guia, Jesus Cristo.
 

Livro: Filosofia Espírita - João Nunes Maia - Miramez

26/08/2014

O MUNDO DOS “SEM”...

Analisando a concepção que, infelizmente, muitos confrades espíritas continuam tendo sobre a Vida além da morte, não posso deixar de chegar à conclusão de que o Mundo Espiritual é o mundo dos “sem”...
Dos sem corpo e sem teto...
Dos sem fome e sem sede...
Dos sem roupa e sem sexo...
Dos sem necessidades fisiológicas...
Dos sem trabalho e sem escola...
Enfim, dos sem compromisso algum!...
Sim, porque, segundo a equivocada ideia de certos adeptos da Doutrina, deste Outro Lado, o homem que desencarna não mais precisa de casa, não mais sente fome e sede, não mais carece de vestuário para lhe ocultar as partes pudendas, que ele, igualmente, não tem mais, não necessitando ainda de trabalhar e estudar...
Realmente, um Mundo vazio de iniciativa e, portanto, inexistente.
Um Mundo completamente avesso ao orbe terrestre, e que, assim sendo, não poderia, em nenhum aspecto, servir de matriz para ele – quer do ponto de vista cultural, quer do ponto de vista social!
Enquanto a Terra seria o mundo dos “com”, o Mundo Espiritual seria o mundo dos “sem”...
Dos sem sonhos e sem aspirações...
Dos sem tristeza e sem alegria...
Dos sem vontade e sem desejo...
Dos que apenas viveriam na expectativa de, um dia, voltar ao Mundo dos “com”!...
Que Mundo Espiritual mais sem graça, e...sem lógica esse!
Ele, então, de fato, não mais seria humano, mas, sim, super-humano! Mas, como?! A desencarnação, por si só, seria capaz de promover criaturas falíveis a seres angelicais?!
Claro que o Mundo Espiritual Superior deve ser mesmo o mundo dos “sem”...
Dos sem preconceitos...
Dos sem fanatismo...
Dos sem ignorância...
Todavia, o Mundo Espiritual imediato, em suas muitas esferas, ainda é o mundo dos “com”...
Dos comprometimentos cármicos...
Dos comparsas no crime...
Dos compadrios desonestos...
Dos cometimentos injustos...
Dos comércios clandestinos...
Sem que o espírita modifique a sua visão do Mundo Espiritual, por mais se esforce, ele não conseguirá, a partir da própria Terra, apreender a abrangência da Vida.
Por este motivo, temos repetido à saciedade:
Espírito é gente!
Mundo Espiritual é planeta!
O corpo carnal também é “perispírito”!
O perispírito, igualmente, é “corpo carnal”!
Ouça o que tenha ouvidos de ouvir...
Mas, sobretudo, o que não tenha medo da Verdade!...

INÁCIO FERREIRA
Uberaba – MG, 25 de agosto de 2014.

25/08/2014

A Partilha


Comemora-se, em breve, a data natalícia da independência do Brasil. Nesta data, todos nós deveríamos estar orgulhosos pelos feitos de nação independente que somos. Afinal, são quase 200 anos sem o jugo de Portugal. Muitos heróis lutaram por esta independência mirando um País soberano e justo, igual e próspero, onde a liberdade fosse o caminho para a construção de uma nação feliz.
Passado todo este tempo, apesar dos inúmeros progressos que conquistamos, ainda estamos a mercê de políticos que não pensam, em sua maioria, na real independência do povo, ao contrário, pensam em manter o povo sob o seu jugo de dependência, entregando esmolas em forma de direito e não promovendo a sua emancipação social e econômica.
Um País grande por natureza, absolutamente aquinhoado de belezas e riquezas naturais, com um potencial enorme de crescimento, não consegue compartilhar o que nele é gerado para a maioria de sua população.
Na história do Brasil, os ricos sempre ficaram mais ricos, e os pobres, como se cumprisse uma sina, cada vez mais pobres.
Denúncias de desigualdade são comuns, mas os políticos pouco ouvem este clamor porque querem mesmo é continuar a usufruir desta diferença social alarmante que vem a ser até anticristão.
O que falta ao nosso País?
Em tempos outros, se disséssemos que faltava educação, se diria que isto não foi eleito pelas nossas elites como prioridade das prioridades, porém, depois de algum tempo desta constatação, por que ainda fica como prioridade de papel?
Isto não pode continuar.
A oportunidade de uma eleição geral é justamente para que possamos priorizar aquilo que nos é importante, imprescindível, indispensável para o nosso desenvolvimento e para o nosso futuro.
Pois bem, aproveitemos esta oportunidade de ouro e façamos valer a nossa vontade, a vontade de promover este País como um lugar de grande desenvolvimento social e econômico, livre das injunções internacionais e ator de sua própria história.
Por certo tempo, quiseram importar modelos de desenvolvimento de outros países como se fosse apenas um copiar-colar e tudo se resolveria. Um amálgama que se reproduziria em nossas terras e pronto, o desenvolvimento chegou.
Podemos hoje, respirando novos ares, e aproveitando o imenso potencial criativo de nossa gente, buscar alternativas lógicas e sensatas, sem desperdício de dinheiro público, para partilhar o desenvolvimento para o maior número possível de pessoas.
O Brasil precisa dar um salto definitivo de desenvolvimento.
Apesar de ostentarmos uma posição privilegiada do tamanho da nossa economia na escala mundial, sabemos que esta riqueza é absolutamente concentrada, que o povo, de maneira geral, não partilha dela. É um horror. Horror saber que se é rico e que não participa deste banquete, que se é excluído da festa.
Jamais tivemos tantas condições, históricas e políticas, para a promoção de um futuro grandioso como agora. Temos recursos, temos planos, temos políticos com competência que podem materializar o desenvolvimento, temos relativa estabilidade econômica, então, por que não assumirmos a nossa posição de vanguarda no concerto das nações?
Outros países, há pouco mais de duas gerações, tomaram esta decisão estratégica e atualmente já usufruem dos frutos do desenvolvimento e nós ainda não.
A política é o caminho para se tomar as grandes decisões, façamo-las então.
Tornemos o nosso País mais ético e sustentável, com mais educação de qualidade para toda a gente e promotor do desenvolvimento individual e coletivo.
O compromisso de mudança deve ser de cada um e, pouco a pouco, ganhar escala geral.
O Brasil espera a nossa participação e vontade de mudança. A felicidade está em nossas mãos.
Helder Camara

24/08/2014

Enfermidade

A enfermidade tomou-te o organismo, ameaçando a tua estabilidade física, emocional ou psíquica?
Este é o  instante  de  insculpires  na  alma o Seu ensinamento: Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.
Livro: No Rumo da Felicidade - Divaldo P. FFranco - Joanna de Ângelis