26 de jan de 2015

Liberdade de Expressão


Passadas as emoções iniciais da morte coletiva de alguns cidadãos franceses por causa das charges do jornal Charlie Hebdo, volto a abordar o assunto com mais tranquilidade.
Meus queridos irmãos, quem escreve estas linhas é alguém que sofreu, na sua última vida na terra, uma permanente perseguição e subtração da liberdade de expressão. Passei vários anos como se estivesse morto pela imprensa oficial do meu País e hoje estou aqui para uma reflexão mais ampla sobre o assunto.
O nosso Papa Francisco, num gesto muito corajoso, disse, com suas palavras simples e diretas, que não aceitava a violência de modo algum, mas que era preciso, no exame da aplicação da liberdade de expressão, respeitar a opinião religiosa do próximo, seja ela qual for. Foi ele na contramão de todos aqueles apelos de liberdade de expressão que sublimou o mundo de protestos contra aquele danoso ato de assassinato.
Pedia o Papa Francisco que verificássemos a fragilidade da fé humana. As pessoas possuem um respeito, às vezes, sobre-humano com a sua fé. A fé, para muitos, é a razão da própria vida. Alguns chegam ao ponto de radicalizar na defesa desta fé. Não estão certos, é verdade, mas possuem um grau de tolerância menor do que deveriam.
Lógico que poderiam ter evitado aquilo, mas o exagero, o despropósito das mensagens do jornal francês, repetidamente, insuflou o ódio daquela gente. Poderia tudo ser evitado se o bom senso prevalecesse parte a parte.
O Papa Francisco exaltou que as pessoas reagem imediatamente contra aquilo que defendem como ponto de fé. Disse que as religiões devem ser respeitadas e, definitivamente, esta não era a prática daquele jornal. Brincou-se com fogo o tempo inteiro e o incêndio, apesar dos avisos, acabou ocorrendo.
Nossos irmãos muçulmanos merecem respeito com Alá e Maomé. Os nossos irmãos judeus merecem respeito com Javé e Moisés. Nós merecemos respeito com Deus e Nosso Senhor Jesus Cristo.
A liberdade não nos dá o direito da agressão gratuita e repetida. A liberdade, em todos os compêndios de Direito, vem sempre associada ao conceito de responsabilidade.
Ora, houve irresponsabilidade das duas partes, um excedeu, o outro respondeu, ambos em desequilíbrio.
Quando iremos entender que o homem deve respeitar outro homem?
Quando iremos compreender que devemos buscar a tolerância como princípio básico das relações humanas para sua harmonia?
Quando nos comportaremos como irmãos de verdade e não faremos ao outro aquilo que não desejaríamos que o outro nos fizesse?
São estas regras básicas de convivência humana que devemos aprender e exercitar no nosso dia a dia.
A fé de cada um, qualquer que seja, até mesmo a ausência de fé, deve ser respeitada e incentivada. Cada qual ao seu modo encontra a Deus e exerce a sua fé, isto é o que é mais importante.
Peço aos franceses e ao mundo que reflitam mais sobre todo este episódio e tire as lições fundamentais para que tenham uma convivência sadia e pacífica com quem quer que seja.
A liberdade também se conjuga com fraternidade, aprendamos esta lição imprescindível, meus irmãos.
Um abraço,
Helder Camara

24 de jan de 2015

Jesus nos recomendou amar-nos uns aos outros, tal qual Ele mesmo nos amou, e perdoar as ofensas, setenta vezes sete vezes, não porque nos considere habilitados para semelhante comportamento, mas porque, se Lhe aceitarmos as diretrizes com paciência, Ele se tornará mais intimamente associado a nós e, com Ele, estaremos fortes e seguros para fazer isso.
Livro: Monte Acima - Francisco C. Xavier - Emmanuel.

23 de jan de 2015

MENSAGEM DE PAZ

Na aplicação de qualquer receita destinada à composição da felicidade, não te esqueças do aviso de que a felicidade nasce de ti mesmo.
Não aguardes do mundo a segurança que tão somente poderá ser construída por ti mesmo, dentro de ti.
Nunca menosprezes o trabalho que a vida te confiou.
A tarefa que desempenhas hoje é a base de seu apoio futuro.
Aceita-te como és e com aquilo de que disponhas para realizar o melhor que possas.
Observa sempre que não existe criatura alguma destituída de valor e da qual não venhas a necessitar algum dia.
Quanto possível, conserva a luz da virtude que te norteia a elevação, mas não permitas que a tua virtude viva sem escadas, para descer ao encontro daqueles que se debatem sob a ventania da adversidade a te pedirem socorro e compreensão.
Sê fiel ao campo da verdade que abraças, sem desconsiderar a parte da verdade em que os outros se encontram.
Usa a paciência nas pequenas dificuldades para que não te falte serenidade nas grandes crises que todos somos levados a facear nas trilhas do tempo.
Não te apegues aos anseios da juventude, nem te acomodes com o cansaço de muitos que ainda não aprenderam a viver com a criatividade da madureza.
Recorda que até hoje ninguém descobriu o ponto de interação onde termina a fadiga e onde começa a ociosidade.
Em qualquer tempo, exercita a fortaleza espiritual para que as tuas energias não se dissolvam, de inesperado, quando as calamidades da experiência humana se façam inevitáveis.
Resigna-te a transitar no mundo, entre os que se te revelem na condição de opositores naturais aos teus pontos de vista, mas não formes inimigos nem cultives ressentimentos.
Não abuses e nem brinques com os sentimentos alheios.
Guarda a tua paz, ainda mesmo nas grandes lutas.
Não creias em pessimismo e derrota, solidão e abandono, porque se amas conforme determinam as Leis do Universo, descobrirás a Beleza e a Alegria em qualquer Circunstância e em qualquer Parte da Terra.
E jamais desesperes, porquanto sejas quem sejas e estejas onde estiveres, ninguém te pode furtar o privilégio da imortalidade e nem te arredar do Esquema de Deus.
Livro: Astronautas do Além - Francisco C. Xavier - Emmanuel.

22 de jan de 2015

Refletir

Pensar é coisa fácil, sobretudo quando se tem o hábito de pensar. O pensamento é coisa que move a gente para outro lugar. Já percebeu o quanto é difícil ficar sem pensar?
Quando alguém quer parar de pensar parece que é aí, então, que a mente acelera e pensa ainda mais.
Por que isso acontece?
Por que a vida, penso eu, é um eterno pensar.
Refletir, portanto, é uma atitude permanente, imediata para quem está atento na vida.
A reflexão nos faz chegar longe porque um pensamento puxa outro. Uma ideia puxa outra. Uma conclusão qualquer nos abre portas para pensar em algo novo.
A vida é assim, precisamos pensar, refletir, analisar tudo constantemente, senão a vida fica sem proveito algum.
Pensar e refletir, porém, são coisas distintas.
Quando penso fico a mercê de qualquer coisa que chegue a nossa mente, não há uma direção específica, mas quando reflito, aí não, eu direciono o meu pensamento, eu digo para ele para onde eu quero ir, não o deixo divagar.
Refletir é pensar possibilidades, é fazer conexões, é tirar conclusões, é repartir o pensamento em outros tantos e verificar cada um destes pedacinhos, sua origem e consequência.
Tem gente que fica por aí dormindo na intenção de não pensar e quiçá refletir. Ora, quando se dorme, se deita o corpo, vejo do lado de cá da vida, aí é que pensamos mesmo, porque livre do corpo damos ainda mais asas a nossa imaginação.
Lógico que tem gente que é dorminhoco demais e dorme até dormindo...
A grande maioria, porém, sempre faz algo depois que dorme, aprofunda-se nos seus pensamentos e reflexões. Dão até vida a eles. Animação, movimento, personagens, sonha.
O pensamento refletido nos faz ir para uma direção mais acertada na vida. Não é a vida que nos leva, somos nós que levamos a vida.
Pensar, refletir e agir, coisas inerentes a todo ser humano. É por isso que nos distinguimos dos animais, porque pensamos, refletimos, agimos.
O animal tem lá os seus instintos, a sua inteligência embrionária, mas nós, seres humanos, temos um cérebro mais completo, exatamente para raciocinar, fazer contato entre os pensamentos, dar vida a eles.
Se você, portanto, não pensa, está reduzindo a sua capacidade de ser humano, não é verdade?
Pense na sua vida. Pense, mas aja logo, saia do lugar. Verifique o que está dando certo e prossiga, e descarte imediatamente aquilo que está te levando para trás, porque a vida é movimento constante para frente, para o alto, para o além.
Deixemos para lá tudo que nos atrasa, que nos impede de seguir adiante, de avançar.
Sejamos constantes nos nossos propósitos, nas nossas intenções e, principalmente, nas nossas boas ideias.
Pense, reflita e aja. O mundo e a vida vão se tornar bem mais interessantes para você.
Fique em paz!
Helder Camara

21 de jan de 2015

ESPÍRITOS MAUS

Questão 281do Livro dos Espíritos

Os Espíritos maus sempre induzem os outros à maldade, por desconhecerem o valor do bem. Eles estão no princípio da sua formação espiritual, e os primeiros caminhos são esses, como o da criança. Tudo de bom se encontra dormindo no centro da sua personalidade; aguardando que o tempo e o esforço próprio os despertem; são as qualidades espirituais, atributos divinos que devem vibrar sob o domínio de si mesmos, como conhecimento da verdade.
Nesse tipo de alma vigora a inveja, e o invejoso desconhece o amor, o desprendimento e vive nas ilusões. Quando encarnados, esse modo de viver se evidencia. Quantos crimes se processam na Terra por inveja!? O inferior procura eliminar os que estão em posição melhor que ele, pensando que com isso ele cresce e encontra a sua paz. Como se engana! As suas qualidades não são conquistadas pela violência; elas são despertadas pelo modo que Jesus ensinou: perdoando ofensas e subindo com o peso da cruz em todos os calvários que aparecerem nos caminhos. Toda subida pede esforço, dores e sacrifícios incontáveis.
O encarnado deve observar a sua própria vida, analisando a vida dos outros em silêncio, e retirando delas as lições de que tanto precisa. A vida é cheia de valores imortais, na imortalidade de tudo que existe. É preciso computar o que faz todos os dias, não perdendo o tempo que se apresenta em seu favor. Que não se esqueça de abençoar as oportunidades e usar a oração todos os dias igualmente, porque ela lhe dará uma visão melhor, assim como despertará seus sentimentos para uma compreensão mais rica, no que se refere às coisas eternas do coração.
Quando encontramos Espíritos cheios de maldade, reconhecemos que neles ainda vibram as paixões, que neles ainda pulsam o egoísmo e o orgulho. São cegos que ainda não descobriram a cegueira; são surdos que não verificaram ainda a sua surdez.
As almas boas já aprenderam com Jesus a tolerância, virtude essa que tem a primazia de desfazer incompreensões, antes que ela possa virar também conivência. As almas elevadas são caridosas, sabendo discernir entre benevolência e desperdício.
Os Espíritos puros desprendem de seus corações o amor, aquele que educa e instrui, que ampara e corrige, que eleva e faz sentir ao Espírito que ele deve usar suas próprias forças na superação de todas as dificuldades, porque sabe também que a misericórdia sempre chega para os de boa vontade, para os cireneus da caridade.
Os Espíritos inferiores se comprazem em nos induzir ao mal pelo despeito, e por não saberem o valor da fraternidade. É por isso que os Espíritos bons, encarnados e desencarnados, os cercam igualmente, induzindo-os para o bem, que sempre ganha a partida.
O mal não resiste ao bem, e a verdade tem lugar destacado na eternidade.
Existem muitos companheiros desanimados, mesmo dentre os espiritualistas, dizendo que a Terra está piorando, em se falando na moralização das criaturas. Como se enganam esses irmãos! Quem tem olhos para ver e sentir o progresso e sua marcha, tem outra conclusão. A piora está somente nas aparências; tudo segue para melhores dias e o que acontece é que em todo o fim de ciclo evolutivo a misericórdia é mais visível, e as oportunidades para os Espíritos inferiores despertarem são muitas. Assim, legiões de Espíritos das trevas descem à carne e muitos deles alcançam sinais de melhora. Os empedernidos no mal recebem as lições e voltam para os lugares que correspondem ao seu estado íntimo. Se não souberam aceitar a misericórdia, a justiça tomará conta deles.
 

Livro: Filosofia Espírita - João Nunes Maia - Miramez

20 de jan de 2015

CIÊNCIAS APLICADAS

96 –Toda moléstia do corpo tem ascendentes espirituais?
-As chagas da alma se manifestam através do envoltório humano,. O corpo doente reflete o panorama interior do espírito enfermo. A patogenia é um conjunto de inferioridades do aparelho psíquico.
E é ainda na alma que reside a fonte primária de todos os recursos medicamentosos definitivos. A assistência farmacêutica do mundo não pode remover as causas transcendentes do caráter mórbido dos indivíduos. O remédio eficaz está na ação do próprio espírito enfermiço.
Podeis objetar que as injeções e os comprimidos suprimem a dor; todavia, o mal ressurgirá mais tarde nas células do corpo. Indagareis, aflitos, quanto às moléstias incuráveis pela ciência da Terra e eu vos direi que a reencarnação, em si mesma, nas circunstâncias do mundo envelhecido nos abusos, já representa uma estação de tratamento e de cura e que há enfermidades d ‘ alma, tão persistentes, que podem reclamar várias estações sucessivas, com a mesma intensidade nos processos regeneradores.
97 –Se as enfermidades são de origem espiritual, é justo a aplicação dos medicamentos humanos, a cirurgia, etc, etc?
-O homem deve mobilizar todos os recursos ao seu alcance, em favor do seu equilíbrio orgânico. Por muito tempo ainda, a Humanidade não poderá prescindir da contribuição do clínico, do cirurgião e do farmacêutico, missionários do bem coletivo. O homem tratará da saúde do corpo, até que aprenda a preserva-lo e defende-lo, conservando a preciosa saúde de sua alma.
Acima de tudo, temos de reconhecer que os serviços de defesa das energias orgânicas, nos processos humanos, como atualmente se verificam, asseguram a estabilidade de uma grande oficina de esforços santificadores no mundo. Quando, porém, o homem espiritual dominar o homem físico, os elementos medicamentosos da Terra estarão transformados na excelência dos recursos psíquicos e essa grande oficina achar-se-á elevada a santuário de forças e possibilidades espirituais junto das almas.
 
Da  obra “O Consolador” – Espírito: Emmanuel – Médium: Francisco Cândido Xavier - Livro Espírita a venda

19 de jan de 2015

Renovar-se

Hoje é um novo dia, já parou para pensar nisso?
Não é apenas um novo dia porque o sol raiou novamente entre nós. É novo dia porque podemos fazer tudo novo – de novo.
Só quem dorme na vida é que não aproveita um novo dia para renovar-se.
Renovar-se significa ficar novo a cada dia. Significa mudar os pensamentos, a forma de agir e de ser. E isto é oportunidade bendita que o Pai nos oferece.
Não sejamos petulantes em dizer que a vida não nos traz oportunidades. Traz, sim, e como traz. É só estar aberto para o novo que ela nos oferece mil e uma oportunidades.
Será, porém, que as pessoas, de maneira geral, estão abertas para as novidades?
Penso, cá com os meus botões, pelo que vejo por aí, que não, absolutamente não.
As pessoas, em regra, querem manter tudo como está, sem mudança alguma. Compraz a elas deixar tudo como está porque se torna mais fácil viver. Não tem que pensar muito, não tem que agir diferente, não tem que quebrar a cabeça pensando nas mudanças.
Ora, meu povo, a vida é constante movimento e mudança. Nada fica parado, incólume às mudanças. “Tudo muda o tempo todo no mundo”, não é assim que diz a canção?
É exatamente isto que acontece: mudança constante.
Então, se o mundo literalmente gira, não fica parado, por que é que você tem que ficar?
Por isso que digo e repito: “é necessário na vida, mudar sempre para se continuar o mesmo”.
Em outras palavras, para acompanhar o movimento de mudanças no mundo é preciso que nos renovemos sempre e cada vez mais, somente para estar no mesmo lugar, porque se a Terra se move e não acompanhamos o seu ritmo, então ficaremos para trás.
É necessário estar em movimento porque tudo ao nosso redor está em constante mudança. Se você não muda, fica parado, imóvel, você perde o “bonde” da história, meu filho.
Hoje, sobretudo, como as coisas ficam rapidamente obsoletas, se você não agir logo, você fica com o prazo de validade vencido.
É  preciso, portanto, estar em movimento sempre. Nada de ficar por aí recordando os “bons tempos”. Aliás, bom tempo se faz quando aproveitamos as oportunidades com qualidade. Quando agimos em prol de uma boa causa. Quando tiramos o pé do lugar e avançamos de algum modo.
Vejo gente por aí reclamando da vida. Ora, veja. Querem que o mundo obedeça às suas ordens. Desejam que o mundo se mova para seu próprio umbigo. Não é assim que acontece, não é mesmo?
Portanto, meu caro, mova-se, saia do lugar, crie coisas novas, faça por onde a vida valer a pena.
Somente quem é acomodado, preguiçoso, lento, é que não quer ouvir falar em mudança, em transformação, em coisa nova na vida.
O movimento é coisa sagrada, então, recrie-se constantemente. Refaça a sua trajetória de vida quantas vezes forem necessárias. Esteja atento às mudanças e acompanhem elas, quando não, antecipe-se a elas, pois você só terá a ganhar.
É por aí que o mundo move. É assim que o mundo funciona.
Fique em paz!
Helder Camara