29 de ago de 2015

A CARIDADE PARA COM OS CRIMINOSOS.
    Problema moral.
    Um homem está em perigo de morte: para salvá-lo é preciso expor a sua própria vida; mas sabe-se que esse homem é um malfeitor, e que, se dele escapar, poderá cometer novos crimes. Apesar disso, deve-se expor para salva-lo?
    A resposta seguinte foi obtida na Sociedade Espírita de Paris, a 7 de fevereiro de 1862, médium Sr. A. Didier:
    Esta é uma questão muito grave e que pode se apresentar na­turalmente ao espírito. Responderei segundo meu adiantamento moral, uma vez que a isso estamos sujeitos, que se deve expor a sua própria vida por um malfeitor. O devotamento é cego: socorre-se um inimigo, deve-se, pois, socorrer mesmo o inimigo da sociedade, um malfeitor, em uma palavra. Credes, pois, que é somente à morte que se deve arrancar esse infeliz? Talvez, é a sua Vida passada inteira. Porque, pensai nisso, nesses rápidos instantes que lhe arrebatam os últimos minutos da vida, o homem perdido retorna sobre sua vida passada, ou antes, ele se levanta diante dela. A morte, talvez, chegue muito cedo para ele; a reencarnação será, talvez, terrível; atirai-vos, pois, homens! vós que a ciência espírita esclareceu, atirai-vos, arrancai-o de sua condenação, e então, talvez, esse homem que estaria morto vos blasfemando, se lançará em vossos braços. No entanto, não é preciso vos perguntar se o fará ou se não o fará, mas vos atirai, porque, salvando-o, obedeceis a esta voz do coração que vos diz: "Tu podes salvá-lo, salva-o!"


Livro: Revista Espírita - Tomo V - 1862 - Allan Kardec - Lamennais  - Os livros espíritas, como este vendidos em nossa loja, terão o lucro repassado à Casa Espírita de Oração Amor e Luz de Limeira.

28 de ago de 2015

ATENÇÃO ATRAÍDA

Questão 311 do Livro dos Espírtos

A atenção para os pertences dos Espíritos que já passaram para o mundo espiritual, não é atraída pelas coisas materiais, mas, sim, pelos pensamentos daqueles que ficaram. Isso acontece quando falamos de Espíritos elevados. Com relação ao Espírito apegado às coisas materiais, onde estiver o seu tesouro aí permanece o seu coração.
Quando seus familiares encontram alguma coisa que lhes pertenceu, a concentração é mais poderosa a respeito do que já partiu. É, pois, uma forte transmissão telepática e o Espírito em condições elevadas, por vezes atende ao chamado mental, se isso serve para lições aos encarnados.
A alma iluminada não perde tempo com simples lamentações. Ainda hoje existem no mundo muitos muros de lamentações, como nos tempos idos. A atração maior para os Espíritos de luz, é para onde vibra o bem coletivo, é onde o amor toma a dianteira de todas as atitudes, é onde a caridade se encontra em evidência, em todos os fatos da vida.
Há sempre prazer para o Espírito quando ele é lembrado na Terra; no entanto, o prazer maior para seu coração é quando essa lembrança pode trazer benefício para os outros. A vida em Espírito da alma já afeiçoada ao Evangelho de Jesus é livre, sem apego às coisas transitórias e ela trabalha sempre para construir a cidade de luz dentro da própria consciência.
É sempre grato ao Espírito quando seus familiares se lembram de exemplificar o que de bom ele realizou no mundo, e procuram aperfeiçoar mais o que ele deixou em caminho. Todos nós fazemos apelo aos que ficaram, no sentido de começarem a se desapegar, pelo menos aos poucos, das coisas materiais e saberem usar o que Deus lhes confiou, trabalhando para a circulação dos bens da vida.
O desprendimento no momento certo é luz no caminho, é tranqüilidade na consciência. E para tanto, não podemos prescindir de Jesus; Ele é o caminho, e quem O segue, não perde o rumo para a felicidade.
Ao regressarmos ao mundo espiritual, não devemos deixar os bens materiais sem rumo, pois isso pode nos causar perturbações sem conta. A responsabilidade é grande, na guarda daquilo que o Senhor colocou em nossas mãos. Os que se encontram ainda na carne, prestes a vir para cá, devem, em nome de Jesus Cristo, alinhar sua vida com a do Evangelho, porque serve de convite para que os que ficam façam o mesmo. A herança de Jesus são os bens imperecíveis, que têm o poder de atravessar o túmulo, acompanhando a alma para onde quer que seja.
Devemos tomar como modelo o Mestre dos mestres, porque Ele é a vida, a vida que faz lembrar o sopro de Deus nos esplendores de todos os ideais. A lembrança que mais toca ao Espírito é aquela de que ele fez todos os esforços possíveis para a sua modificação interna, deixando nascer em seu coração a luz do entendimento.
A atenção deve ser toda atraída para a Boa Nova do Reino de Deus, em seus variados aspectos. No Evangelho, a caridade bem orientada se reflete em todas as letras, em todas as frases, em todo o livro, como livro de vida, na vida com amor. O que se pratica acintosamente fora da lei do Evangelho é prova de ignorância.
Lembremo-nos da luz, que já estamos caminhando para ela.
Lembremo-nos do amor, que ele já se encontra a caminho.
Lembremo-nos da caridade, que ela pode se manifestar em nós, em favor de todos.
Entrementes, não devemos ficar somente nas lembranças, para que essas virtudes tenham o poder de permanecer em nós, em plena força da vivência, na fecundidade do mundo interno, onde Jesus deve reinar para sempre.


Livro: Filosofia Espírita – João Nunes Maia – Miramez - Os livros espíritas, como este vendidos em nossa loja, terão o lucro repassado à Casa Espírita de Oração Amor e Luz de Limeira.

27 de ago de 2015

ARTE - I

161 –Que é arte?
-A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das criaturas. Ela significa a mais profunda exteriorização do ideal, a divina manifestação desse “mais além” que polariza as esperanças da alma.
O artista verdadeiro é sempre o “médium” das belezas eternas e o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais vibráteis do sentimento humano, alçando-o da Terra para o Infinito e abrindo, em todos os caminhos a ânsia dos corações para Deus, nas suas manifestações supremas de beleza, de sabedoria, de paz e de amor.
162 –Todo artista pode ser também um missionário de Deus?
-Os artistas, como os chamados sábios do mundo, podem enveredar, igualmente, pelas cristalizações do convencionalismo terrestre, quando nos seus corações não palpite a chama dos ideais divinos, mas, na maioria das vezes, têm sido grandes missionários das idéias, sob a égide do Senhor, em todos os departamentos da atividade que lhes é próprios, como a literatura, a música, a pintura, a plástica.
Sempre que a sua arte se desvencilha dos interesses do mundo, transitórios e perecíveis, para considerar tão-somente a luz espiritual que vem do coração uníssono como cérebro, nas realizações da vida, então o artista é um dos mais devotados missionários de Deus, porquanto saberá penetrar os corações na paz da meditação e do silêncio, alcançando o mais alto sentido da evolução de si mesmo e de seus irmãos em humanidade.


Livro: “O Consolador” – Espírito: Emmanuel – Médium: Francisco Cândido Xavier - Os livros espíritas, como este vendidos em nossa loja, terão o lucro repassado à Casa Espírita de Oração Amor e Luz de Limeira.

26 de ago de 2015

  -E os problemas da inversão Sexual?
  Silas deu-se pressa em aclarar:
  -Não será preciso alongar elucidações. Considerando-se que o sexo, na essência, é a soma das qualidades passivas ou positivas do campo mental do ser, é natural que o Espírito acentuadamente feminino se demore séculos e séculos nas linhas evolutivas da mulher, e que o Espírito marcadamente masculino, se detenha por longo tempo nas experiências do homem.
  Contudo, furtando-lhe os direitos e cometendo abusos, em nome de sua pretensa superioridade, desorganiza-se ele próprio a tal ponto que, inconsciente e desequilibrado, é conduzido pelos agentes da Lei Divina a renascimento doloroso, em corpo feminino, para que, no extremo desconforto íntimo, aprenda a venerar na mulher sua irmã e companheira, filha e mãe, diante de Deus, ocorrendo idêntica situação à mulher criminosa que, depois de arrastar o homem à devassidão e à delinquência, cria para si mesma terrível alienação mental para além do corpo masculino, a fim de que, nas teias do infortúnio de sua emotividade, saiba edificar no seu ser o respeito que deve ao homem, perante o Senhor.
  Nessa definição, porém, não incluímos os grandes corações e os belos caracteres que, em muitas circunstâncias, reencarnam em corpos que lhes não correspondem aos mais recônditos sentimentos, posição solicitada por eles próprios, no intuito de operarem com mais segurança e valor, não só o acrisolamento moral de si mesmos, como também a execução de tarefas especializadas, através de estágios perigosos de solidão, em favor do campo social terrestre que se lhes vale da renúncia construtiva para acelerar o passo no entendimento da vida e no progresso espiritual.


Pequeno trecho do livro espírita “Ação e Reação” de Francisco C. Xavier e espírito André Luiz.

25 de ago de 2015

À frente do desespero

    Dias há nos quais tens a impressão de que mesmo a luz do sol parece débil, sem que consiga fulgir nos panoramas do teu caminho. Tudo são inquietações e ansiedades que pareciam vencidas e que retornam como fantasmas ameaçadoras, gerando clima de sofrimento interior.
    Nessas ocasiões, tudo corre mal. Acontecem insucessos imprevistos e contrariedades surgem de muitas mônadas que se amontoam, transformando-se em óbice cruel de difícil transposição.
    Surgem aflições em família que navegava em águas de paz, repontam problemas de conjuntura grave em amigos que te buscam socorros imediatos e, como se não bastassem, a enfermidade chega e se assenhoreia da frágil esperança que, então, se faz fugidia.
    Nessa roda-viva, gritas interiormente por paz e sentes indescritível necessidade de repouso. A morte se te afigura uma bênção capaz de liberar-te de tantas dores!...
    Refaze, porém, a observação.
    Tudo são testemunhos necessários à fortaleza espiritual, indispensável à fixação dos valores transcendentes.
    Não fora isso, porém, todas essas abençoadas oportunidades de resgate, e a vida calma amolentaria o teu caráter, conspirando contra a paz porvindoura, por adiar o instante em que ela se instalaria no teu imo.
    Quando tudo corre bem em volta de nós e de referência a nós, não nos dói a dor alheia nem nos aflige a aflição do próximo. Perdemos a percepção para as coisas sutis da vida espiritual, a mais importante, e desse modo nos desviamos da rota redentora.
    Não te agastes, pois, com os acontecimentos afligentes que independem de ti.
    A família segue adiante, o amor muda de domicílio, a doença desaparece, a contrariedade se dilui, a agressão desiste, a inquietude se acalma se souberes permanecer sereno ante toda dor que te chegue, enquanto no círculo de fé sublimas aspirações e retificas conceitos.
    Continua fiel no posto, operário anônimo do bem de todos, e espera.
    Os ingratos que se acreditaram capazes de te esquecer lembrar-se-ão e possivelmente volverão: os amigos que te deixaram, os amores que te não corresponderam, aqueles que te não quiseram compreender, quantos zombaram da tua fraqueza e ridicularizaram tua dor envolta nos tecidos da humildade, os que investiram contra os teu anelos voltarão, tornarão sim, pois ninguém atinge a plenitude da montanha sem a vitória pelo vale que necessita vencido.
    Tem calma! Silencia a revolta!
    Refugia-te na palavra clarificadora do Evangelho consolador e enxuga tuas lágrimas com as suas lições, os seus textos extraem o licor da vitalidade e tece com as mãos da esperança a grinalda de paz para o coração lanhado e sofrido. Se conseguires afogar todas as penas na oração de refazimento, sairás do colóquio da prece restaurado, e descobrirás que, apesar de tudo acontecer em dias que tais, Jesus luze intimamente nas províncias do teu espírito. Poderás, então, confiar e seguir firme, certo da perene vitória do amor.

Livro: LAMPADÁRIO ESPÍRITA - Divaldo P Franco - Joanna de Angelis 

24 de ago de 2015

Propósito de Vida

As pessoas possuem responsabilidades sobre a terra. Ninguém está aqui isento de responsabilidades. Todos possuímos algo que é esperado de nós. Fugir a elas é fugir, no fundo, a si mesmo. Então, sejamos responsáveis por aquilo que almejamos conseguir, caso contrário poderá ser colocado tudo por terra pela invigilância e ausência de foco.
Ora, estar atento a sua missão maior é tarefa das mais importantes na existência. Descobrir o que nos move e seguir sempre nesta direção, eis o desafio a ser perseguido.
Muita gente não sabe o porquê de estar por aqui. Vive a vida a esmo, sem direção e sem sentido. O que fazer com elas? Dar um sacolejo na vida delas para ver se elas despertam para as suas próprias responsabilidades de viver.
Não é fácil, pelo que vejo. Muitas pessoas, mesmo passando por situações difíceis, de aperto mesmo, continuam fazendo as mesmas coisas de antes ou até mesmo nada. Isso não é bom.
Sabe o que é viver por aí sem propósito de vida?
Acordar-se todos os dias, levantar da cama, ir trabalhar, voltar para casa e ficar sem um foco na vida é revoltante para si mesmo porque um dia esta experiência carnal vai se acabar e qual será o saldo que se levará depois disto?
Tenho visto – e muito – é o trabalho de orientadores espirituais neste sentido. É o tempo todo lembrando e criando situações para que seus tutelados acordem para a vida. Alguns casos conseguem êxito, em outros é um caos completo, pois parece que seus orientados vivem em estado de sono permanente, ou seja, não conseguem despertar.
Este trabalho de orientação espiritual é permanente porque, invariavelmente, as pessoas tendem a ter foco em alguns assuntos e em outros não. Mesmo naquilo que guardam certa atenção é comum esquecerem de cumprir certas “obrigações”.
Este estado de vigilância permanente, esta atitude de foco é fundamental para uma vida com propósito. Saber para onde se quer ir, mover sua atenção e energia e estar focado nisso é o mecanismo da vida produtiva.
Sua vida, meu irmão ou minha irmã, é produtiva?
Você possui foco naquilo que é o mais importante na sua existência?
Você aprende com os descuidos do caminho e com suas experiências exitosas ou não?
É este aprendizado que lhe fará mover para frente e avançar. É esta perseverança que lhe fará conseguir sucesso na sua vida. Portanto, não desperdice tempo com aquilo que não te agrega valor na vida, que é um passatempo.
Viver com propósito é um grande ganho da vida.
Construir uma educação exemplar na família pode ser um propósito para os pais.
Ser um profissional consciente e responsável pode ser um propósito para um trabalhador na sua atividade.
Alcançar os elogios dos companheiros de trabalho pela sua condução adequada pode ser um propósito de um chefe.
E assim por diante.
Viver com propósito deve ser o empenho de todos que desejam sinceramente tornar estar vida mais interessante e feliz.

Helder Camara

23 de ago de 2015

A Experiência Humana

Você sabe o que é estar presente? Se não sabe deveria saber imediatamente.
Tenho verificado no dia a dia de vocês uma corrida frenética de lá para cá. As pessoas vivem mais em deslocamento do que focadas em algo produtivo. Esta correria não é boa porque faz você se dispersar. O pior, o que aumentar esta perda de foco, é que vocês se distraem completamente com as tais mídias sociais.
Está cada vez mais difícil ver duas pessoas olhando uma para outra com atenção total concentrada. Vocês usam o aparelho de celular permanentemente. Estão mais conectadas com quem está ausente do que com aqueles que estão ao seu lado. Será que isso é correto?
Penso que não.
Claro que a minha antipatia com estes aparelhinhos deve ser levado em conta, mas, como tudo na vida, há um exagero generalizado no uso dessas "coisinhas".
Reconheço que elas aproximam os distantes  e isto é uma maravilha da conquista humana. Que engenhosidade tecnológica aquela que aproxima os distantes de uma forma simples e barata. No meu tempo para se conseguir falar com alguém do interior do mesmo estado era uma dificuldade tremenda. Falar com alguém no próprio país era extremamente difícil, comunicar-se então com alguém fora do país era inimaginável e vocês possuem isso literalmente na palma de suas mãos. Esta é a grande conquista, no entanto, aproximamos os distantes e distanciamos os presentes, então o ganho foi relativo.
Você sabe o que significa um olho no olho?
Você sabe o que representa um aperto de mão e um abraço?
Você imagina o que é compartilhar uma conversa na presença física do outro.
Sei que a tecnologia proporciona até isso hoje, pelo menos a visualização da outra pessoa numa tela, mas jamais conseguirá, pelo que sei, a um prazo distante, traduzir o que significa a troca de olhares, abraços e impressões.
Não é excluir a tecnologia das nossas vidas, mas não deixar de ter a perspectiva de que somos seres humanos - humanos. Não somos máquinas, somos humanos, com todas as letras.
Sendo assim façamos com que a tecnologia trabalhe a nosso favor, mas não deixemos de exercer o papel que máquina alguma poderá substituir: traduzir a emoção e o sentimento verdadeiro de outro ser humano com todas as impressões possíveis e imagináveis.
Não me considerem um desatualizado ou um saudosista, mas alguém que valoriza a experiência humana acima de tudo.
A experiência que transforma e renova.
A experiência que promove aproximações.
A experiência que é arrebatadora.
Sejamos humanos. Será que é pedir muito?

Helder Camara